Um sobre Zero #8

Olá, eu sou o António Lopes e esta é a newsletter do Um sobre Zero, um podcast sobre o futuro da ciência e tecnologia.

Para entrar no fim de semana de bom humor

Anteriormente... no Um sobre Zero

Com tantas evoluções no mundo do podcasting, nomeadamente na guerra entre a Apple e o Spotify (para ver quem será o "dono" do mercado), eu diria que vale a pena revisitar o episódio 54 do Um sobre Zero.

Neste episódio, para além da história e análise do estado atual do mundo dos podcasts, também são feitas algumas previsões que até não parecem estar muito fora do que realmente estamos a testemunhar.

Ouvir Episódio

As notícias da semana

Geração de oxigénio... em Marte

O robô mais recente na família NASA que habita em Marte, o Perseverance, continua a inovar no planeta vermelho. Desta vez, o robô usou um mecanismo interno para converter uma pequena quantidade da atmosfera de Marte (rica em dióxido de carbono) em oxigénio.

Por agora, este é só um teste, mas no futuro, este tipo de mecanismos podem mesmo ser uma fonte de produção de oxigénio para permitir que astronautas possam sobreviver em Marte, ou mesmo para permitir gerar o tipo de combustível que é usado pelas naves dos astronautas para que consigam fazer a viagem de volta para a Terra.

Branco mais branco para combater as mudanças climáticas

Não sei se sabem, mas as cores mais claras refletem mais luz do sol do que as cores mais escuras. Naturalmente, esta capacidade refletora tem consequências também ao nível do aquecimento da superfície que reflete essa luz solar. Especialmente, se estivermos a falar das superfícies que estão o dia inteiro expostas à radiação solar, como é o caso dos telhados.

Numa cidade onde os telhados são maioritariamente escuros, a absorção extra de luz solar, provoca não só um aquecimento excessivo do ambiente circundante (contribuindo para o aquecimento global), como por sua vez, causa um maior consumo de energia para refrigeração.

Daí que seja importante criar uma cor que seja o mais branca possível. O que os investigadores da Universidade de Purdue agora criaram foi uma tinta branca que consegue refletir mais de 98% da luz do Sol, podendo contribuir assim para diminuir consideravelmente o aquecimento dos telhados de uma cidade. É certo que os ganhos são reduzidos (poupança de 10KW por cada 100 metros quadrados de telhado pintados com esta tinta), mas numa escala global de uma cidade tão grande como Nova Iorque, o impacto na luta contra o aquecimento global pode ser interessante.

Europa vs. Apple

Agora parece ser a Apple que se vê envolvida num caso de antitrust com a União Europeia. O mais engraçado é que a base desse caso é uma queixa que o Spotify (que agora está em guerra com a Apple pelo domínio do mercado do podcasting) apresentou há cerca de 2 anos, a propósito da prática de cobrar 30% de comissão na App Store e não deixar que uma App redirecione o utilizador para fora da App para realizar uma subscrição de um serviço pago.

Ainda não se sabem os detalhes desta acusação por parte da UE, mas é de esperar que a Apple terá de assumir uma posição de compromisso (com o pagamento de multa) ou então repensar o seu modelo da App Store.

Enquanto não há resolução deste caso, o Spotify vai lançar o seu serviço de subscrição de podcasts sem permitir subscrição através da sua App iOS. Assim não tem de pagar os 30% à Apple e quem quiser subscrever podcasts através do Spotify, terá de o fazer por outra via. E tal como esperado, este novo serviço será disponibilizado naturalmente através da sua aquisição, o Anchor.fm.

Inteligência Artificial vs. Inteligência Artificial

No episódio 35 do Um sobre Zero, o Pedro Pinheiro deu a conhecer algumas das obras do autor Charles Stross e em particular o seu livro Accelerando. E durante a sua explicação do livro, o Pedro referiu a parte interessante de no futuro retratado no livro haver lutas entre inteligências artificiais que no fundo funcionavam como advogados virtuais que competiam para ver quem era mais rápido a processar o outro.

app DoNotPay, que se auto-intitula como o primeiro advogado-robô, para além dos seus serviços habituais de permitir combater a burocracia e gerar micro-processos para lutar contra empresas gananciosas, lançou agora um serviço que no fundo permite combater uma outra categoria de inteligências artificiais: a do reconhecimento facial que é usada por exemplo nas redes sociais e noutros serviços de identificação de indivíduos.

Esta nova funcionalidade permite manipular as próprias fotos de uma pessoa para que estas deixem de poder ser usadas por algoritmos de reconhecimento facial para identificar a pessoa em questão, sem afetar a qualidade da imagem e a forma como esta é vista por humanos. Basicamente, o algoritmo PhotoNinja usa táticas de esteganografia e outras abordagens semelhantes para manipular os pixéis da imagem de forma a que os algoritmos de reconhecimento facial não consigam perceber que se trata sequer de uma pessoa, quanto mais detectar quem é a pessoa.

É claro que isto agora é um jogo do gato e rato, e não tardará muito até que os algoritmos de reconhecimento facial passem a conseguir dar a volta a estes truques. Mas não deixa de ser interessante ver estas guerras entre inteligências artificiais.

Recomendações de leituras para o fim de semana

Vice - The Ale-Soaked Medieval Origins of the Witch's Hat

Eu não faço ideia se isto é verdade ou não, mas esta teoria de que o conceito das bruxas (naquela imagem da velha feia com um chapéu pontiagudo) vem na verdade de um ataque concertado de homens que ficaram invejosos do negócio de produção de cervejas tipicamente executado por mulheres, é simplesmente fascinante.

Recomendações de podcasts para o fim de semana

Como referi no outro dia no Twitter, 100% dos irmãos Lopes estão agora no mundo do podcasting. O meu irmão, Rui Costa Lopes, faz parceria com a Ana Markl no podcast [In]pertinente da Fundação Francisco Manuel dos Santos. Começam logo bem a falar sobre racismo. Não é por ser meu irmão, mas recomendo vivamente o episódio, está muito interessante.

Brevemente... no Um sobre Zero

Em breve, vou divulgar os resultados do inquérito feito à comunidade Um sobre Zero. Se ainda não responderam, ainda o podem fazer durante mais alguns dias.

O vosso feedback é precioso.

Muito obrigado.

Nota final

A precisão da condução do drone e o timing da filmagem, tornam este vídeo simplesmente espetacular:

Bom fim de semana